Páginas

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

Halloween: A Melhor Franquia Slasher Que Existe.



E mais uma vez chegamos no mês do Halloween.

E acredito que não exista ocasião melhor pra falar
de uma das mais sanguinárias franquias do horror que existem.


HALLOWEEN.

Criada por John Carpenter
a saga do assassino serial
Michael Myers vem tirando o sono
de muita gente desde 1978 e ao
que parece mais gente vai
ficar sem dormir, pois um novo filme está
chegando aos cinemas.

E agora é a hora mais apropriada
de fazer um resumão de
todos os filmes da saga até aqui.

Vamos nessa.








Halloween: A Noite do Terror (1978)


Nesse primeiro filme dirigido pelo
criador Carpenter, somos apresentados
á Michael Myers que ainda criança
assassinou sua irmã mais velha á facadas
na noite de Halloween.

A cena vista em primeira pessoa, pelo
ponto de vista do pequeno Michael é
impressionantemente bem feita.

Michael passa os próximos 15 anos de sua vida
internado em uma clínica, até que no dia
de Halloween daquele ano, Michael já adulto (vivido
por Tony Moran)
volta para a sua cidade natal, Haddonfield.

Tentando impedir um possível massacre,
o psiquiatra de Michael, o 
Dr. Sam Loomis (Donald Pleasence)
sai em seu encalço.

Na pequena cidade, Michael
arranja uma macabra máscara de
Halloween (Que na verdade
era uma máscara com o rosto do
ator William Shatner, o
Capitão Kirk original de Star Trek)
e sai por aí perambulando de carro
(e a pé).

Ele se interessa especificamente pela
estudante e babá, 
Laurie Strode (Jamie Lee Curtis)
e na noite de Halloween persegue
ela e os amigos da mesma, matando
sem piedade a galera, enquanto o
Doutor Loomis tenta detê-lo.


Esse primeiro Halloween é uma
verdadeira aula de como fazer suspense
e terror.

O fato de Michael não ter nenhuma
explicação sobrenatural, ele ser apenas
um psicótico e assassino serial por
natureza é um dos grandes trunfos.

Outra coisa muito boa é o suspense contínuo.

Michael mal aparece e quando
o faz é pra matar alguém.

E outra coisa:

As mortes são poucas e dentro do contexto
da história.

Se você nunca viu o filme e pretende
assisti-lo esperando ver uma morte
á cada cinco minutos, vai se desapontar.

Bem, o primeiro Halloween é um dos
melhores de toda a serie...
não, ele é o melhor.

Mas a coisa não parou aí, é claro,
pois houveram sequências, 
muitas sequências.

E vou falar um pouco de cada uma
delas.









(Admirando a sua obra.)











Halloween II - O Pesadelo Continua (1981)


Demorou um pouco, mas em 1981 foi lançada a sequência
de Halloween.

Desta vez dirigido por Rick Rosenthal
e com Carpenter no roteiro e produção,
o longa mostra o retorno de Michael Myers.

Sim, Michael não morre no final
do primeiro filme, ele apenas
desparece, o que claro
já deixava brecha pra uma
sequência.

A história desse filme começa
imediatamente depois do
termino do primeiro 
e se passa na mesma noite.

Michael (Dick Warlock)
é baleado pelo Dr. Loomis
(novamente vivido por Donald Pleasence)
mas sobrevive e escapa.

Laurie (Lee Curtis que também retorna)
é levada á um hospital, mas é
claro que Michael irá atrás dela
novamente.

O filme é quase (quase) tão bom quanto o primeiro
e mostra o Michael caçando
Laurie pelos corredores
escuros de um hospital quase
vazio e matando todo mundo
que tem a infelicidade de cruzar
o seu caminho.

Tá, admito que essa parte não é
lá muito realista.

Hospitais não costumam ser escuros
e vazios, mas é um filme de terror, dá
pra dá um desconto.

Bem, o filme é tão bom quanto
o primeiro e é nesse que temos
a revelação que Laurie
é irmã do Michael.

No final, Myers é queimado vivo
e aparentemente morto de vez.




(Magoei.)
















Halloween III - A Noite das Bruxas (1982)


Lançado em 1982, Halloween 3 veio para
dá um ar novo para a franquia.

Como disse antes, Michael teria batido as botas
de vez no final do segundo filme e os produtores
tiveram uma ideia que acho bem interessante:
Transformar a franquia Halloween em algo temático.

Veja bem, a ideia deles era lançar filmes
de terror anuais que a única relação entre si
e que eles se passariam no Dia das Bruxas.

Um conceito bem legal do meu ponto de vista.

Então, Halloween 3, tem como protagonista
o médico Dan Challis (Tom Atkins)
que por puro azar acaba se envolvendo em
uma diabólica trama.

Um dos pacientes do hospital aonde Challis
trabalha é brutalmente assassinado
e o médico resolve ajudar a bela
filha do homem, uma jovem chamada
Stacey Nelkin (Ellie Grimbridge) á
descobrir quem perseguia o seu pai.

Os dois vão até uma cidade
chamada Santa Mira, aonde
terão que lidar com um empresário
enigmático chamado Conal Cochran (Dan O'Herlihy)
que no final, acaba revelando ter um terrível plano
á ser executado na noite de Halloween.

Bem a ideia de fazer de Halloween uma série
sobre a festa pagã, ao invés de focar
em Michael Myers é muito boa
ao meu ver, (parecido com o que estão fazendo com Cloverfield hoje em dia),
porém a resposta do público não foi
tão boa e muitos reclamaram do filme.

Os produtores não tiveram escolha,
eles acabaram voltando com o Michael.





(Travessuras.)












Halloween 4 - O Retorno de Michael Myers  (1988)


Não teve jeito, Michael Myers voltou
na parte 4 e os produtores e roteiristas fizeram
uma história bem meia-boca pro seu retorno.


Se passaram dez anos desde noite de halloween que
Michael tocou o terror em Haddonfield e surpreendemente
ele e o Doutor Loomis (novamente vivido por Pleasence)
estão vivinhos da vida.

Porém Michael ficou em estado catatônico esse tempo todo,
até saber de uma sobrinha chamada 
Jamie Lloyd (Danielle Harris) e lógico que
ele vai atrás da menina.

Bem, o filme tem uma história 
bem fraca que serve de desculpa
para cenas e mais cenas de assassinatos, mas
pelo menos tem uma cena final impactante
e surpreendente que homenageia o
primeiro filme.



(Nada de carona.)












Halloween 5 - A Vingança de Michael Myers (1989)



No ano seguinte, já foi lançada a parte 5
e a história começava aonde o
anterior terminou.

Porém, se querer dá spoiler e como já disse acima, a parte 4 acabava de
um jeito surpreendente e com um baita gancho
pra sequência, dando entender que o Myers tinha
finalmente encontrado o seu fim e que teríamos
um novo assassino.

Porém os produtores mudaram de ideia
e resolveram fazer uma história mais
convencional.

Myers sobreviveu e após
um ano, voltar á perseguir
sua sobrinha Jamie
e claro, o Doutor Loomis
novamente está lá para
enfrentá-lo.

Literalmente um filme mais
do mesmo.






("-Até a minha máscara não é mais como antigamente, Doutor.")
















Halloween 6 - A Última Vingança (1995)


Demorou muito tempo, pra franquia ter um novo filme e isso claro deve
ser por causa da "qualidade" da Parte 5 que com certeza não agradou, então os
produtores resolveram se esforçar mais na hora de fazer o sexto filme, por isso
ele demorou pra sair não é ?

Não, não mesmo.


Halloween 6 - A Última Vingança
é tão ruim quanto o seu antecessor.

O filme mostra uma Jamie já crescida (J.C. Brandy)
dando á luz e morrendo no processo.

Michael passa a perseguir a criança
que acaba sendo protegida por 
um rapaz chamado 
Tommy Doyle. (Paul Rudd muito antes de sonhar ser o Homem-Formiga.)


Tommy era uma das crianças que a Laurie Strode tomava conta
lá no primeiro filme e o rapaz resolve pedir
ajuda para o maior especialista em Michael Myers,
o Doutor Loomis.


O filme é bem meia-boca e foi uma
despedida ruim para Donald Pleasence
que morreu durante as gravações.





("Pra onde vai doutor ?" 
"Pra longe desse filme horrível.")











Halloween H20: Vinte Anos Depois (1998)


Vendo os rumos ruins que a série tinha ido, os produtores
resolveram fazer uma espécie de reboot.

Esse novo filme só levava em consideração
os dois longas originais e ignorava todo o resto
e contava com o retorno de Jamie Lee Curtis.

Na trama Laurie, havia mudado de nome,
tido um filho e se tornado diretora de uma
escola de adolescentes.

Durante os anos, ela tentou esquecer o
seu maléfico irmão, mas não consegue
sabendo que um dia ele retornaria.

E infelizmente esse dia chegou
e é 31 de Outubro.



Halloween H20 é um filme
muito bom.

Ele volta com a pegada que a franquia
tinha no começo e tem um estilo
semelhante aos filmes slasher
daquela época como 
Pânico e Eu sei o que Vocês fizeram no Verão Passado,
o que é curioso, já que esses filmes tinham
o Halloween original como inspiração.

Bem, infelizmente, depois desse retorno promissor,
 a franquia ficaria em situação ruim.

(De novo.)






("E aí mana, voltei, vem me dá um abraço.")















Halloween: Ressurreição (2002)


A franquia chegou então nos anos 2000, mas infelizmente, alcançou
o novo milênio de maneira bem capenga.


Halloween: Resurrection (Ressurreição) é 
na minha modesta opinião, o pior filme
de toda a série.

Ele até começa promissor, mostrando Michael retornando
e caçando a Laurie pela última vez.

Depois dos acontecimentos do último filme,
Laurie Stodre (Lee Curtis, pela última vez até então no papel) estava em um sanatório, 
aparentemente em estado catatônico, mas na verdade ela estava bem desperta
e ciente que o seu irmão voltaria para matá-la.

Dito e feito, Michael invade o local e depois de matar
alguns seguranças azarados, tem o confronto final
com a irmã.

Depois desse início incrível, você pensa que o filme
inteiro vai ser sensacional não é ?

Ledo Engano.

Bem, Michael então resolve voltar para
casa, aquela mesma lá do primeiro filme,
que á esse altura virou uma casa abandonada.

Até que um produtor de TV (Busta Rhymes) tem
a péssima ideia de fazer um reality show na
casa que será transmitido ao vivo pela internet.

Era o início dos anos 2000 e como vocês
sabem, reality shows estavam na moda.

Bem, o tal produtor escolhe um grupo
de jovens debiloides para passarem uma noite
na casa, sendo a principal deles uma menina
chamada Sarah Moyer (Bianca Kajlich, linda mas sem carisma).

É como era de se esperar, isso dá muito
errado, já que Michael passa á matar
todo mundo na casa.

Na minha opinião esse é o pior filme da série, pela
quantidade de absurdos que tem nele.

Pra começar, a casa é pequena, mas Michael, que é um sujeito enorme,
consegue se esconder de boa e só aparece quando já tá em cima
de suas vítimas.

O filme revela que a casa tem lugares secretos, como
um calabouço e uma passagem subterrânea.

Mesmo com os assassinatos sendo transmitidos
pela internet para o mundo todo, só o pessoal
de uma única festa, parece ter assistido aquilo
e só porque um dos convidados, um rapaz
chamado Myles Barton (Ryan Merriman)
é amiguinho virtual da protagonista e achou
que ver o tal reality dela, era melhor do que ficar na
festa, o que ironicamente atraiu todos os outros
do local.

Isso comprova duas coisas:

O Reality Show foi um fracasso de audiência
e a festa deveria está um saco, pra todo mundo
nela preferir ver um reality show meia-boca.




Bem, Halloween Ressurreição fez o contrário do seu sub-título,
ele quase matou de vez a franquia.

Halloween só ganharia novos filmes um bom tempo depois, mas
infelizmente, Michael e Laurie continuariam sofrendo nas mãos
de gente nada competente.

Mas eu estou me adiantando, mas detalhes á seguir.








(É, ninguém consegue ver um cara mascarado de dois metros.)



















Halloween - O Início (2007)






Bem, depois de os produtores conseguirem
enterrar a franquia (de novo), um novo reboot
foi necessário, só que desta vez foi um
reboot completo, que ignorava todos os outros
filmes até então.


Mas ao contrário da renovação anterior, que realmente
trouxe boas coisas pra franquia, Halloween - O Início
é um filme problemático.


A coisa já começa bizarra pela
escolha do diretor e roteirista do filme,
o roqueiro Rob Zombie.

Sério, eu acho Zack Snyder e Michael Bay
diretores medíocres, mas comparados com o
Zombie, os dois são os próprios
Scorsese e Spielberg.

Não sei quem enganou o Rob Zombie dizendo
que ela poderia ser um diretor de cinema, mas
essa pessoa mandou muito mal.


Na atualização, Zombie resolve contar uma história que justificaria 
a transformação de Michael em um assassino implacável.



O pequeno Michael Myers (Daeg Faerch), tem
uma família conturbada.

Sua mãe (vivida pela esposa de Zombie, Sheri Moon Zombie)
é uma striper, seu padrasto (William Forsythe) é arrogante e abusivo
e sua irmã mais velha (Hanna R. Hall) é negligente
e promíscua.


Sua família vive brigando e discutindo e isso faz
com que Michael se torne um garoto solitário
e introspectivo.

Que passa os dias sozinho matando animais.


A primeira vítima humana de Michael, foi um colega
de escola que fazia bullying com ele.

Myers o espanca até a morte com um pedaço de tronco
em uma cena bastante impactante.



Ninguém descobre que Michael foi o responsável por essa morte, até 
a noite de Halloween.

O menino enlouquecido e usando uma máscara 
mata a sua irmã mais velha, o namorado da mesma
e o seu padrasto, poupando apenas a sua irmãzinha mais nova.


Ele é então enviado para o um sanatório e passa a ser tratado pelo
Doutor Loomis (Agora vivido por Malcon McDowell).

A mãe de Michael vendo o que o filho se tornou, se suicida e o destino
da irmã mais nova do psicopata mirim, é desconhecido nessa altura
do filme.



Michael cresce no sanatório e o doutor Loomis
desiste dele ao ver que ele mergulha cada
vez mais na sua loucura criando uma obsessão por máscaras.

Até que chega a fatídica noite, que ele escapa
do lugar e começa a sua trilha de mortes
até Haddonfield onde pretende encontrar a sua irmã
que agora usa o nome de Laurie Strode (Scout Taylor-Compton).

Bem, o filme tem até algumas (poucas) ideias
interessantes, como mostrar o tempo que o Michael
ficou internado, mas outras são simplesmente
estúpidas.


A primeira deles é a forma patética com que o Michael (Agora vivido por Tyler Mane)
escapa do hospício.

Seguranças tarados acharam que era uma boa
ideia abusar de uma paciente dentro da cela do
Michael.

Nem preciso dizer o que acontece não é ?



Outra são as cenas de mortes e nudez totalmente 
gratuitas que tem no longa.

Reclamar que tem muitas cenas de mortes em um
filme de terror slasher pode parecer babaquice minha, mas
se for pra comparar com o Halloween original, você vai 
como era a coisa.

Michael mata pouco no primeiro filme, já que o filme é
focado mais no suspense, do que nas mortes em si
e por isso pra mim, ele já é um filme melhor.


Em relação á nudez, não me leva mal, mais
as cena não tem nenhum propósito além causar ereções nos adolescentes que assistirem,
elas poderiam serem cortadas sim.


Lembram da atriz mirim Danielle Harris lá do Halloween 4 e 5 ?!

Bem, ela também está nesse filme e agora adulta, protagoniza uma
das cenas de nudez gratuita do longa, pois é.


Bem, Halloween - O Início acabou se revelando mais
um dos péssimos filmes da franquia, mas isso
não o impediu de ganhar uma sequencia.









("Não foge, você tem que ver o filme até o fim.")

















Halloween 2 (2009)


Pois é meus amigos, não satisfeito em destruir com Myers uma vez,
nosso "querido" Rob Zombie resolveu atacar de novo com uma
sequencia.

O filme começa bem parecido com o Halloween 2 de 81, com
Michael (Tyler Mane novamente) perseguindo a Laurie (Taylor-Compton, que também retorna)
em um hospital.

Esse começo do longa é de longe a melhor parte dele, onde é possível sentir
terror de verdade, vendo a Laurie toda machucada e com a perna quebrada
tentar fugir de Michael.

Porém a sequencia inicial que dura uns bons vinte minutos, não passa
de um pesadelo de Laurie, pois é.



Ela agora se tornou uma roqueira maluca e foi adotada pelo
xerife Lee Brackett (Brad Dourif, o eterno Charles Lee Ray ou Chucky pros íntimos)
vivendo com ele e com a sua filha Annie (Danielle Harris também de volta).

Outro que retorna diferente é Malcolm McDowell como
Doutor Loomis, que aqui deixou de ser aquele psiquiatra com vontade
de combater o mal e se tornou um escroto arrogante, que lucra em cima
da tragédia de Haddonfield, vendendo livros sobre Myers.

Bem se passou um ano e é Halloween novamente e claro, Michael volta
para massacrar a cidade, mas ao contrário da cena inicial, onde tem bastante
tensão e parece um filme de terror slasher de verdade, aqui Myers
vai matando vítima por vítima, de forma tosca, como se fosse um
vídeo-game.

É pra piorar, ele é guiado pelo fantasma da sua mãe (Moon Zombie de volta é claro, já
que Rob Zombie, tinha que dá um jeito de enfiar a sua mulher no filme de novo) e uma projeção
dele mesmo ainda garoto (Chase Wright Vanek).

Outro detalhe bizarro é que Myers passa boa parte do filme sem usar
a máscara, mostrando a sua cara barbuda.


Finalizando, Halloween 2 consegue ser pior que o primeiro
e tudo o que conseguiu fazer foi enterrar a franquia mais
uma vez.





(Uma mãe fantasma que guia o seu filho serial killer, já vi isso em algum lugar.)

















Halloween (2018)


Depois de sequencias, reboots e universos compartilhados, a nova mania
de Hollywood são as "continuações-reboot".


A onda agora é fazer filmes que sejam sequencias diretas de
clássicos e ignorem todas as sequencias originais e reboots anteriores.

Esse novo Halloween é o primeiro dessa leva, ele só levar em consideração
o primeiro filme de 78, todos os outros são "universos alternativos".

Foi o jeito que Hollywoood encontrou para ressuscitar franquias, sem ter
que fazer reboots completos.


(E pode se preparar, pois depois de Halloween, Exterminador do Futuro e
Robocop serão os próximos).


Bem é qual a história desse novo filme ?



Após provocar o massacre em Haddonfield no ano de 1978, 
Michael Myers (vivido agora por dois atores James Jude Courtney
e o veterano Nick Castle) foi recapturado e ficou as últimas décadas
preso.

Mas é claro que agora, ele escapa e irá atrás de Laurie (Jamie Lee Curtis
provavelmente pela última vez no papel) e da família dela.


Esse novo Halloween veio para trazer á franquia as
origens.

Chega de reality shows, mães fantasmas, seitas e coisas
do tipo, aqui é o bom e velho Michael em toda a sua
glória assassina.


Sinceramente, estou bem animado pra esse filme 
e espero que ele seja tão bom quanto o primeiro e acho
difícil, ele ser pior que os filmes do Rob Zombie.

A direção é de David Gordon Green
e o longa estreia no dia 25.



E é isso galera, até a próxima.





(Arte de LemurfotArt/Hampus)




segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Monstros Terríveis da Ficção.


(Arte de Timo Huovinen)




As mentes criativas de diversos autores, foram responsáveis por
criarem algumas das criaturas mais aterrorizantes da ficção.

Nessa lista especial de mês das bruxas, irei falar de alguns desses monstros.


Venha comigo...se tiver coragem.















Zumbis (diversas obras)


(Arte de James Ryman)


George Romero foi o criador dos zumbis modernos com o seu
A Noite dos Mortos-Vivos de 1968, desde então inúmeras outras versões
de zumbis surgiram com o passar das décadas.

No filme de Romero, os zumbis eram mais perigosos em grandes grupos, pois
sozinhos eram relativamente "fáceis" de matar, mas em outras obras como
The Walking Dead, Madrugada dos Mortos, Guerra Mundial Z, Eu Sou a Lenda,
Invasão Zumbi e até nos não muito queridos filmes de Resident Evil, os zumbis são
mostrados como criaturas ágeis e extremamente perigosas, alguns até com
um certo nível de inteligência.

Em muitos dos filmes, a única escapatória é a morte.










Vampiros (Diversas obras)


(Arte de Cecil Porter)


Se George Romero "criou" os zumbis, Bram Stoker "criou" os vampiros,
bem, a versão moderna deles.

Vampiros são mortos-vivos, mas ao contrário dos zumbis, são totalmente racionais
e tem poderes tenebrosos, desde mudar de forma, hipnotizar pessoas e se desmaterializar.

Vampiros já apareceram de todas as formas na ficção, desde seres que se transformam
em monstros-morcegos (como no fraco Van Helsing de Hugh Jackman)
á seres brilhantes em você sabe no que.










Xenomorfos (Alien)


(Arte de RJ Palmer)



A grande maioria das raças alienígenas que aparecem em filmes, séries, games
e etc são hostis para a humanidade, mas acho que uma das piores delas são
os xenomorfos de Alien.

Vejam bem: Eles são monstros parasitas que usam qualquer ser vivo como
hospedeiros (principalmente humanos) tem peles extremamente resistentes,
força descomunal, agilidade idem, aderência á superfícies, conseguem ser muitos
silenciosos quando espreitam alguém e a rainha da espécie tem inteligência.

Os xenormofos são armas vivas e matá-los não é nada fácil.









Titãs (Shingeki no Kyojin)


(Arte de Andres Beltran)

Pense em zumbis, agora pense em zumbis gigantes indestrutíveis
onde o ponto fraco é uma pequena parte nas nucas dos mesmos.

Criados por Hajime Isayama, os titãs foram inspirados
por uma pintura de Francisco de Goya, onde o titã
das mitologias grega/romana Cronos/Saturno aparece devorando
um dos seus filhos.

Apesar de relativamente novos, os titãs já são do meu ponto
de vista monstros terríveis e icônicos.

A aparência deformada dos seus corpos, mas as suas expressões
que variam entre aparente tédio e prazer, fazem deles aterrorizantes.

Sem falar que eles devoram humanos, não com o objetivo de ser alimentarem
(o real motivo é um spoiler se você não conhece a trama), tanto que eles
ignoram os animais e só atacam as pessoas, que foram obrigadas á viveram atrás
de muralhas.









Fantasmas (Diversas obras)


(Arte de Jon Lee)

Monstros são terríveis, imagine então monstros que não tem corpos físicos ?!

Fantasmas são com certeza os maiores causadores de medo nas mídias.

Os espíritos que se recusam á partir são uma pedra no sapato de muita gente.

Seja Sadako/Samara no Chamado, Kayako Saeki e o seu filho Toshio
no Grito, os fantasmas que dão trabalho para os Warren em Invocação do Mal,
entre outros.


Se livrar desses fantasminhas nada camaradas é sempre difícil e as
vezes não é possível.














Demônios (Diversas obras)


(Arte de SamRAW08)



Fantasmas podem ser um pé no saco, mas acredite,
demônios são muito piores.

Esses anjos caídos adoram atormentar os humanos antes
mesmo deles irem passar temporadas no inferno.

Seja deixando os seus filhos anticristos no mundo como em
O Bebê de Rosemary e a Profecia, tomando o corpo de crianças
como é o caso de O Exorcista ou deixando cubos mágicos satânicos
pra pessoas incautas tentarem resolver, que é a premissa da maioria
dos filmes de Hellraiser.

E aja exorcismo, poder divino e força de vontade pra ser
livrar desses filhos do inferno.




E é isso meus amantes do horror, até a próxima
postagem.



Pra finalizar mais uma arte do SamRAW08, agora
retratando os eternos monstros da Universal.














Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...